quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Chuva, criança e arroz doce..

E chove neste nosso paraíso tropical...
"tudo se acalmou
como se o mar
entrasse em casa
lavasse as mágoas
e nos trouxesse calma." Nando Reis
E eu, avó ...
Curtindo um dia inteiro de neta, arroz doce e muita brincadeira...
Fomos ao circo... ver o "palaço"
andamos de "bilisqueta"
fizemos comidinha...
levamos nossas filhas no "bilisário".
Oh... Deus, nos deixe sempre crianças por perto
Sem elas... lá se vai nossa ternura...

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Retratando...

Em algumas comunidades, foto é uma raridade. Coisa como um tesouro, que se tem pouquíssimas, ou quase nenhuma, e se guarda com devoção. Estranho... quando se vive na era da tv digital, do celular com câmera.. do dvd... Mas existem pessoas que não se reconhecem em fotos. Não podem lembrar, ou melhor, rever - por que a lembrança carregamos conosco, em cheiros... sons ... sabores... - mas rever sua primeira infância, sua avó que já se foi. Eu, que vivo de máquina na mão e quando, como agora, não tenho... arrumo emprestado.. Sou uma figureira, preciso de figuras para reproduzir... nunca tinha me dado conta desta "necessidade", a de nos retratarmos... de carregarmos conosco retratos da nossa história de vida. Até porque, eu os tenho.
Semana passada visitando... e fotografando ... essa bebezinha linda, recém-nascida, ouvi de sua mãe o seguinte pedido: -Ahhh, Patrícia, sempre que tu vieres dar aula prás meninas, vem cá tirar foto da minha nenê, não tenho nenhuma foto da minha infância, não quero isso prá minha filha. Às vezes, são tantas as outras necessidades que deixamos esta passar... Parece que aquilo é um luxo desnecessário, não é, não!
Bom, para encurtar a conversa. Estou juntando máquinas, já temos duas... aquelas de filme... que para alguns parece um dinossauro. Mas bate foto, faz retrato, portanto ... serve. São agora propriedade do Grupo Cerâmica do Valongo, entre eles acertam: tem nenê novo, a mãe leva a máquina... tem festa na casa da vovó... lá vai a máquina... Responsabilidade deles.... foto deles, guardadas por eles ... por que as minhas, eu continuo batendo...

domingo, 27 de janeiro de 2008

Algumas peças... Grupo Cerâmica do Valongo





























GRUPO DE CERÂMICA VALONGO
A iniciativa é parte do processo de valorização e reconhecimento da comunidade rural do Sertão do Valongo, Porto Belo/SC - reconhecida como remascente quilombola pela Fundação Cultural Palmares ( dez./2004).
Com um suporte da BrazilFoundation, através do projeto “Oficinas de Cultura e Cidadania” desenvolvidas pelo Instituto Boimamão, foram ministradas aulas de cerâmica figurativa e utilitária no Atelier da ceramista Patrícia Estivallet no primeiro semestre de 2007. A pesquisadora continuou as oficinas no 2° semestre, como voluntária.
A ação visa à ampliação da visibilidade da cultura dos afro descendentes, o complemento à educação formal e o incentivo à capacitação pré-profissional, sempre com o foco no desenvolvimento sustentável daquela comunidade.
Atualmente, são 12 jovens que produzem cerâmica figurativa e de olaria feita à mão, peças estas que são queimadas em forno à lenha, respeitando a forma tradicional do fazer cerâmico da região. Além, das aulas no ateliê, já produzem na própria comunidade.
“Acreditando que através da arte transformamos indivíduos em “gente”, estamos desenvolvendo nestes jovens qualidades, não apenas técnicas, mas de responsabilidade social para que eles se tornem protagonistas do seu próprio desenvolvimento.”

COORDENAÇÃO: Patrícia Amantino Estivallet

COORDENAÇÃO JOVEM: Andrelina Caetano e
Fabiana Caetano

PARCEIRO: Instituto Boimamão Preservação
e Fomento da Cultura.

APOIO: Prefeitura Municipal de Porto Belo -
ONG Brazil Foudation – (2007)


CONTATOS: aceramica@hotmail.com
ceramicavalongo@hotmail.com
http://www.institutoboimamao.org.br/




Dia 25, em Porto Belo, recebemos um apoio maravilhoso. Os organizadores da homenagem à Ruth Laus, escritora, crítica de arte e grande mulher na defesa da arte, nos convidaram a apresentar o Projeto Cerâmica do Valongo. Uma homenagem póstuma, no dia do seu aniversário, com o lançamento de seu livro "Viagem ao Desencontro"
Os valores doados em troca dos livros que estavam sendo distribuídos, foram ofertados ao nosso projeto.
Gostaria de agradecer, em nome de todos os meninos e meninas deste grupo, à Morgana, ao Egeu Laus e demais organizadores e participantes do evento. Mais que os valores, que serão utilizados na manutenção do grupo de cerâmica, as palavras de estímulo recebidas nos fazem acreditar que estamos no caminho certo. Que somos parte do "todo... que temos que fazer a nossa parte...
Amanhã, estarei lá na comunidade acompanhando mais uma reunião de "fazer cerâmica", e contando a elas tudo o que aconteceu naquela noite tão importante para nosso grupo.


“ Somos povos novos ainda na luta para nos fazermos a nós mesmos como um gênero humano novo que nunca existiu antes, tarefa muito mais difícil e penosa, mas também muito mais bela e desafiante... estamos nos construindo na luta para florescer amanhã como uma nova civilização, mestiça e tropical, orgulhosa de si mesma. Mais alegre, porque mais sofrida. Melhor, porque incorpora em si mais humanidades. Mais generosa, porque aberta à convivência com todas as raças e todas as culturas e porque assentada na mais bela e luminosa província da Terra..” Darcy Ribeiro








E dvd rodou...

video

Hoje vai um pedacinho do vídeo que fizemos com as meninas do Projeto Cerâmica do Valongo...

É preciso, ainda, falar deste trabalho... Mas hoje não vai dar tempo... Tenho muito para contar...

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Aqueles dias...


"... ai, meu Deus..................... meu dvd não rodaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa....."

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

O sol ...

"... o pôr do Sol vai renovar
brilhar
de novo
o seu sorriso..."

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008


"Hoje é sexta-feira
há no ar um cheirinho de sossego...
caminhar na praia,
chamego...

Noite Cultural em Porto Belo

Oi...
Dia 25 de janeiro... quem estiver por perto... compareça.

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Cerâmica Valongo...







Mesmo nas férias, estas meninas continuam trabalhando... fazendo cerâmica... rindo... brincando... num lugar muito bonito... chamado ...
"Sertão do Valongo"...

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Engenho do Sertão




"Ontem à noite o Engenho do Sertão abriu suas portas para nos presentear com mais um destes acontecimentos, que só lá tormam forma. Este engenho, que não é mais só de Bombinhas, mas de todos os "sertões"...


Por esta porta muitas histórias entraram e sairam... "






"O Zé e a Maricota nos recebiam... são os donos da casa..."













" A mesa estava posta: bijú, culhão (um tipo de pamonha), farinha de amendoim, rosca de polvilho, banana assada e tantas outras delícias... Além, é claro, da consertada..."












"... e do café, que estava no fogo..."














"Os amigos enchiam a casa... "




"E tinha a cantoria... o canto de todos os cantos ... deste cantinho de mundo... "
O lançamento do CD "Unindo Gerações".
Resultado das Oficinas de Música do Instituto Boimamão, que traz composições dos jovens integrantes do projeto além, de contemplar mestres, músicos, compositores e poetas da terra. Algo lindo, inédito e emocionante."
Parabéns a todos os participantes do projeto e, em especial, a comadre " do Engenho".
Cuidado com seus sonhos... eles podem se tornar realidade... o meu era morar num lugar onde viver fosse simples, trabalhar fosse prazeroso, os amigos fossem sinceros e suas companhias, alegres... Isto é Bombinhas e Porto Belo, duas cidadezinhas aqui no Sul do Brasil...







segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Meu quintal...


Moro onde muita gente passa férias...é um privilégio poder pedalar todos os dias por este cenário.

Minhas novas amigas...


Ontem chegou esta "magrela"; hoje, uma barraca...
Acho que aventuras estão por vir ....

domingo, 6 de janeiro de 2008

Mares a navegar...


Zé... O rapaz nasceu em algum lugar na Costa da Esmeralda. Lá onde se brinca de boi. Seu sonho?? Namorar a Maricota. Moça bonita, com a boca bem pintada e o cabelo cheio de fitas. Não poupou esforços, se arrumou... tinha flor amarela na lapela. Viajou... sempre atrás do sonho de ser par daquela moça... Mas a "vida é real... e vê só que cilada o amor me armou..." , Maricota não o amou... Desilusão... Onde dançar??? Zé sem Maricota... não dança. Mas Zé mora na Enseada da Encantada... perto do Caixa DAço, lá onde sinistros navios piratas se escondem das frotas portuguesas e espanholas. Zé tomou uma decisão: o mar e sua imensidão azul serão seu lar... uma Maricota em cada porto, loira com fitas ... negras com tranças ... nórdicas com olhos azuis... Conquistas pelo mundo afora. E assim, segue a vida de um Zé que não deu certo... transformado em Pirata dos Sete Mares.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Assim eu vejo a vida
Cora Coralina
A vida tem duas faces:
Positiva e negativa
O passado foi duro mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,
Aceitar suas limitações
E me fazer pedra de segurança
dos valores que vão desmoronando.
Nasci em tempos rudes
Aceitei contradições
lutas e pedras
como lições de vida
e delas me sirvo
Aprendi a viver.

Estas mulheres ...


Menina,
moça... esposa,
mãe,
avó,
bisavó...
trisavó... Mulher!
Mulheres de um outro tempo...
Mulheres com um outro tempo,
Delas, herdamos algo...
Delas, já não temos muito...
Somos mulheres...
Mas de um outro tempo...
às vezes, quase sem tempo...
De, de novo, sermos mulheres.


Nas fotos: a trisavó e a "trineta"... entre elas... meu pai, eu e minha filha... Parabéns Davina pelos seus 92 anos... Um grande beijo

Um grande beijo, também, para Tia Ruth... 70 anos hoje...

Mulheres...